Pages

A VELHA E MONSTRO

terça-feira, 12 de novembro de 2013.
Chovia torrencialmente quando o carro do vendedor misteriosamente estourou dois pneus. Já era madrugada e a estrada estava deserta. Ele se arrependera de não ter pernoitado na cidade anterior. Fumou um cigarro. A chuva estiou e ficaram apenas os relâmpagos e os trovões.

Ele era experiente em viagens noturnas e já dormiu no carro outras vezes, mas, desta vez, sentiu medo. Cochilou. Vozes empestadas de sofrimento acordaram-no num sobressalto! Assustado olhando em sua volta, percebeu que estava em frente a um sítio. As luzes estavam acesas, então decidiu  pedir ajuda. No caminho viu vários carros parados próximo a casa. Devia ser oficina, pensou.

Bateu palmas. Insistiu. Até que uma velha carcomida pela osteoporose e com voz rouca lhe atendeu. Com fineza ela lhe ofereceu um chá quente. Após ter bebido todo chá ele se sentiu totalmente drogado. Então a velha pegou seu antebraço com firmeza e o levou para um quarto e deitou-o numa cama fétida.  Debaixo da cama saiu um Monstro horrível. Desesperado, grogue e sem forças, ele ainda viu a velha sorrindo cinicamente saindo do quarto e fechando a porta.

Comentários:

 
Edgar Braga Buchara © Copyright 2010 | By Site Fácil |